MT: Empaer elabora as diretrizes da bovinocultura de leite e farinha de mandioca

MT: Empaer elabora as diretrizes da bovinocultura de leite e farinha de mandioca

Técnicos da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) trabalham na elaboração das diretrizes técnicas da bovinocultura de leite e produção da farinha de mandioca para agricultura familiar. As orientações técnicas têm o objetivo de fornecer aos produtores rurais um conjunto de práticas recomendáveis com garantia de rendimento, qualidade e menor custo de produção.
A coordenadora do projeto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) para agricultores tradicionais, Denise Ávila Gutterres, fala que com recursos do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), até o final do mês de agosto, as diretrizes serão publicadas e estarão à disposição dos agricultores.
A bovinocultura de leite representa uma das principais atividades econômicas para agricultura familiar, seguida pela cultura da mandioca. O médico veterinário da Empaer, Hamilton José e Silva, ressalta que a produção de Mato Grosso chega a 2,8 milhões de litros de leite/dia, e a intenção é produzir cinco milhões de litros leite/dia de qualidade até 2014. Silva ressalta que a diretriz vai conter informações da parte sanitária, alimentação, pastagens, suplementação de volumoso, controle sanitário, raças, manejo produtivo e reprodutivo do rebanho leiteiro, instalações, ordenhas higiênicas, políticas de incentivo do leite e outros.
Segundo levantamento dos técnicos da Empaer, 30% dos agricultores familiares exercem a pecuária de leite como atividade econômica, com uma produção média diária de 70 litros de leite por propriedade rural no período das chuvas e 40 litros na seca, com um plantel de 1,05 milhão de vacas de leite. Participam da finalização do manual da diretriz da bovinocultura o médico veterinário, Hamilton, o zooctecnista Antônio Rômulo Fava, e o engenheiro agronômo Osmar de Assis Alves.
No Brasil, a cultura da mandioca ocupa o terceiro lugar no ranking mundial com uma produção de 26 milhões de toneladas, numa área de 1,8 milhao de hectares. Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a área plantada no Estado de Mato Grosso na safra 2007, foi de 39,1 mil hectares com uma produção de 550 mil toneladas de mandioca, sendo destinada a maior parte para industrialização na produção de farinha e fécula.
O cultivo da mandioca gera emprego e renda com o processo de produção, industrialização e comercialização. A diretriz vai abordar o processamento das raízes de mandioca para fabricação de farinha, instalações adequadas, equipamentos necessários, layout industrial, normas e padrões de higiene e outros. Orientar também na implantação de novos métodos com o objetivo de evitar a poluição ambiental, aproveitamento dos resíduos da mandioca (casca) e do amido da água proveniente da prensagem (manipueira).
Existem centenas de casas de farinha na Região Centro-Oeste que utiliza a mão de obra familiar e a estrutura dos estabelecimentos, equipamentos e utensílios, muitas vezes, são rudimentares e sem condições adequadas para funcionamento. Será apresentado as novas técnicas para produção da farinha de mandioca dentro das normas de boas práticas de manipulação. Participam da conclusão da diretriz técnica da mandioca as extensionistas, Lindelzi Lima, Natanagilda Castrillon, Maria Inês Betoni e Deusimar Muniz Lima.
Fonte: 24 Horas News, adaptado pela Equipe Milknet
05/07/2012