PI: Simpósio de Células-tronco e Terapia Celular é realizado em Teresina

PI: Simpósio de Células-tronco e Terapia Celular é realizado em Teresina

Sendo realizado pela primeira vez na região do Meio Norte do Brasil o Simpósio reuniu ontem (20), no Auditório do Hotel Fórmula Flat, bairro Ilhotas, pesquisadores, estudantes e profissionais na discussão de temas relevantes em células-tronco e terapia celular, com o intuito de difundir os resultados mais recentes das pesquisas, os avanços nos ensaios terapêuticos pré-clínicos e a adequação de modelos animais utilizando células-tronco. Além de ampliar a interação entre os grupos de pesquisa de instituições e centros de pesquisa de todo o país que atuam na área.
Comporam a mesa da solenidade de abertura do SCTTC os representantes da Universidade Federal do Piauí (UFPI), representando o Reitor, o Prof. Dr. José Arimatéia, a coordenadora geral do simpósio Profª. Drª. Maria Acelina, a coordenadora do NINTEC, Profª. Drª. Maria Rita, a Profª. Drª. Maria do Socorro, o Prof. Dr. José Adalmir, a presidente da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Piaui - FAPEPI, Profª. Drª. Bárbara Olímpia , o chefe geral da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, Prof. Dr. Fábio Mendonça, representando o Reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí - IFPI, Profª. Drª. Valdira Vieira e representando o Reitor da Universidade Estadual do Piauí - UESPI, Profª. Drª. Francisca Lúcia.
O Simpósio de Células-tronco e Terapia Celular é um evento organizado pelos Programas de Pós-Graduação (Doutorado) em Biotecnologia - RENORBIO, Ponto Focal Piauí, Programa de Pós Graduação em Ciência Animal e pelo Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia - NINTEC, vinculados a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação da Universidade Federal do Piauí (UFPI).
A Profª. Drª. Maria Acelina saudou a todos os presentes e ressaltou que as pesquisas com células-tronco e terapia celular já são uma realidade em várias universidades brasileiras fortemente consolidadas, e o Brasil já conquistou seu espaço no cenário internacional com sua tecnologia de obtenção de células-tronco. Como parte desse processo, a UFPI por meio do grupo de pesquisadores do Laboratório de Pesquisas em Ciências Morfológicas Animal, do Centro de Ciências Agrárias - CCA, que vêm pioneiramente desenvolvendo pesquisas no estado, explorando as potencialidades das células-tronco com atenção em especial a modelos de animais silvestres em terapias de doenças renais reduzidas, entre outras.
A palestrante, Profª. Drª. Ana Claudia Oliveira Carreira (NUCEL/USP), ministrou a palestra "Dez anos de pesquisa do NUCEL (Núcleo de Terapia Celular e Molecular)". Ela falou que o núcleo foi criado, em 2002, para enfrentar o desafio de utilizar a competência técnico-científica instalada no Laboratório de Biologia Celular e Molecular (LBCM) e na Unidade de Ilhotas Pancreáticas Humanas (UIPH) do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (IQ-USP), para o tratamento de doenças humanas (diabetes, hemofilia, reparo ósseo, doenças hepáticas, deficiências de reprodução) através de Transplante Celular, Engenharia de Tecidos e DNA recombinante.
Ana Claudia, disse ainda, que na primeira etapa de funcionamento do NUCEL, já foi iniciado o implante de ilhotas pancreáticas humanas, isoladas a partir de doadores-cadáver, em pacientes diabéticos, um procedimento que já foi reconhecido pelo Ministério da Saúde. A professora também apresentou várias pesquisas realizadas como transdução do sinal, microencapsulamento, regeneração óssea, regeneração hepática, células-tronco, pesca de genes, fibrose em pâncreas, peptídeo C e diabetes, estresse celular em ilhotas.
A programação é composta por palestras, mesa redonda, e uma sessão de apresentação de trabalhos em formato de pôster. Ao final, na sessão de encerramento, os trabalhos considerados de maior relevância, receberão certificados especiais de reconhecimento, identificando-os como os melhores trabalhos apresentados no Simpósio de Células-tronco e Terapia Celular (SCTTC) no ano de 2012.
Napoleão Martins falou que os estudos de células-tronco é uma área de fronteira de ciência, ou seja, é uma área de formação de conhecimento que está se estabelencendo agora. Como membro do grupo de pesquisadores do laboratório de Ciências Morfológicas Animal, em Teresina, ele ressaltou que várias pesquisas estão sendo realizadas, dentre elas o isolamento de células-tronco de animais silvestres, que apesar ter resultados preliminares, já são animadores, e que quando avançarem nos estudos e obtiverem maiores resultados colocarão a UFPI e o Estado do Piauí no cenário mundial das pesquisas sobre área.
O mestrando em Ciência Animal pela UFPI, Gerson Tavares Pessoa, disse que esse evento proporciona uma troca de experiência em uma área tão importante para a humanidade. E que pesquisadores de seis Estados brasileiros estão trazendo para o simpósio as novidades das pesquisas que realizaram em suas instituições.
O evento é voltado para pesquisadores, alunos de pós-graduação e profissionais das áreas de ciências de saúde, biológicas, agrárias e ciência dos materiais, além do público que tem interesse na temática.
Fonte: 180 graus adaptado pela Equipe Milknet