Importação de leite em pó cai em maio

Importação de leite em pó cai em maio

O Brasil importou 7,1 mil toneladas de leite em pó (integral e desnatado) em maio deste ano, volume 7,8% menor que no mesmo mês de 2011. No entanto, no acumulado de janeiro a maio a entrada do produto no país somou 41 mil toneladas, ou US$ 160, 4 milhões, contra as 39 mil toneladas (US$ 145, 5 milhões) de igual intervalo do ano passado.

A maior parte do leite em pó importado pelo Brasil é proveniente do Uruguai. Conforme dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), nos primeiros cinco meses do ano, o volume das importações desde o país vizinho cresceu 31,6%.

O leite em pó adquirido do Uruguai tornou-se uma dor de cabeça para o segmento no Brasil. Na avaliação de Jorge Rubez, presidente da Leite Brasil, associação nacional dos produtores, "o comércio é desleal e não pode trazer nenhum benefício aos pecuaristas brasileiros", diz.

Segundo ele, o produtor enfrenta problemas internos suficientes como custos de produção (em média de 19%) superiores ao aumento de 17% obtido na remuneração no ano passado. Entre 2010 e 2011, as exportações uruguaias de lácteos para o Brasil passaram de US$ 90,8 milhões para US$ 187,6 milhões.

O produto entra no mercado brasileiro livremente, enquanto as exportações argentinas ao país estão sujeitas ao regime de cotas estipuladas em 3,6 mil toneladas mensais. "Negociar com os uruguaios é quase uma missão impossível", confessa Jorge Rubez.

O presidente da associação relembra que o setor formou uma comissão há três meses para reivindicar medidas do governo contra a crescente importação de leite em pó e derivados de leite vindos especialmente do Uruguai. "Não somos contra o comércio. Só é preciso limites", afirma Rubez.


Fonte: Valor Econômico adaptado pela Equipe Milknet