MS: Laticínio fecha portas por falta de leite


Com problemas de abastecimento e logística , o laticínio Líder declarou o fechamento da unidade de Campo Grande, e já demitiu pelo menos 100 funcionários na última sexta-feira.
Além da Capital, a Líder possui unidades em São Gabriel do Oeste e Naviraí, onde mantém fusão com outra empresa, a Saga. Até o momento, a informação é de que as unidades do interior continuam na ativa.

Os maiores problemas para a Líder foram a falta de matéria-prima e o avanço da BR Foods no Estado. Antes maior laticínio de MS, a empresa sofreu com a grande estrutura, e com a incapacidade de manter a produção, focada na mussarela.

“Acredito que o caso (fechamento) foi específico da Líder. Enfrentamos muitas dificuldades, em especial pela falta de leite, mas dá para trabalhar”, comentou Milene de Oliveira Nantes, presidente do Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado (Silems). “A Líder enfrentou dificuldades também devido ao avanço da BR Foods, principalmente com a compra do ‘Vencedor’, no início de 2012”, completou.

Milene se refere à aquisição do laticínio Vencedor por parte da BR Foods, que passou a ser a maior indústria do setor no Estado. “Eles compraram a estrutura física e readaptaram para os moldes da Sadia”, afirmou a presidente do Silems.

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias e Afins de Campo Grande, Rinaldo Salomão, a notícia foi uma surpresa. “O setor está bem, pelo que sabemos, e veio essa história (fechamento), foi estranho, de uma hora para outra acabar com a unidade”, comentou. Segundo ele, os funcionários demitidos estão recebendo o acerto sem problemas.

Fonte: Correio do Estado adaptado pela Equipe Milknet